sábado, 25 de agosto de 2012

canja de galinha

0 comentários
nº pessoas
-
origem
-
ingredientes
1/2 galinha
1 cebola descascada
2 dentes de alho descascados
1 cenoura descascada
1 folha de louro
1,5 l de água
125 g de massa pevide (risoni)
folhas de hortelã
sal
2 ovos cozidos (opcional)














preparação

Coloque a galinha, a cebola, os dentes de alho, a folha de louro e a cenoura numa panela grande. Cubra com a água e tempere com sal. Leve ao lume e quando ferver baixe o lume. Tape e deixe cozer por 1h30 em lume brando (ou 30 minutos na panela de pressão).

Retire a galinha e todos os alimentos sólidos do caldo. Desosse e desfie a galinha, retirando todas as peles. Corte a cenoura em rodelas. Resere.

Coe o caldo com um passador de rede fina. Volte a colocar o líquido obtido ao lume e leve a ferver. Rectifique os temperos e junte a massa. Deixe cozinhar por mais 10-12 minutos, ou até a massa ficar cozida.

Se quiser enriquecer a canja coza, à parte, 1 ou 2 ovos em água com sal. Descasque, corte com o fatiador de ovos tanto no sentido horizontal como longitudinal para obter quadradinhos.

Adicione ao caldo na panela, a galinha desfiada, o ovo cozido e as rodelas de cenoura. Cozinhe por mais 1-2 minutos.

Retire a sopa do lume e junter 3-4 folhas de hortelã, inteiras ou esfarrapadas, conforme preferir.

Sirva de imediato.




história da canja

A canja é um sopa típica portuguesa feita à base de arroz ou massinhas.
A sua principal variação é a canja de galinha, que tem na cultura popular do país uma forte crença nas suas propriedades medicinais, em particular no combate à constipação.

A canja é particularmente recomendada no tratamento da diarreia de modo a combater a desidratação, mas neste caso é preferível fazê-la com arroz. Em certas regiões portuguesas, nomeadamente na região centro, existe uma tradição de dar apenas canja às mulheres depois do parto durante algumas semanas.

A canja é originária da China onde é chamada congee. O congee é consumido em quase todos os países asiáticos. É interessante que o congee chinês, ou asiático em geral, pode levar muitos ingredientes diferentes e inclusivé é frequentemente tomado ao pequeno-almoço. No entanto, a variante mais tradicional é precisamente o congee de galinha, quase idêntico à canja portuguesa, e que além disso é também utilizado no período de convalescença de doenças, exactamente como em Portugal.

No congee mais comum, o arroz é cozido durante horas até que se dissolva totalmente na água de cozer, resultando uma papa. Mas existem muitas variantes regionais que se distinguem não só pela consistência mais ou menos firme do arroz, mas também pela quantidade de água que levam, podendo ser uma sopa líquida ou uma papa grossa, e pelos outros ingredientes acrescentados ao arroz. É muito provável que a canja tenha sido trazida da China por portugueses devido, precisamente, às suas propriedades reconfortantes e medicinais.

Outra versão, de Garcia da Orta, aponta sua origem na Índia, na Costa de Malabar, porto de Calicute, onde Vasco da Gama aportou em 1492. Era chamada kenji (ou kenge) palavra malaia que designava um caldo quente e salgado, ao qual os portugueses acrescentaram a galinha. Por influência portuguesa, a canja é também consumida no Brasil e outros países e regiões de de expressão portuguesa. Um exemplo desta disseminação é a chamada canja de Goa.

A canja de Goa é uma sopa típica da culinária indo-portuguesa de Goa, Damão e Diu, outrora pertencentes ao Estado Português da Índia, inspirada na canja portuguesa. É preparada com galinha, chouriço, cebola, alho, arroz, água e sal. Todos estes ingredientes são cozidos em conjunto, num tacho ou numa panela de pressão. No fim, são extraídos os ossos da galinha, que já se deverão desprender. De acordo com a tradição, em Goa, as mulheres davam à luz na casa paterna. No nascimento do primeiro filho, as sogras enviavam para as noras uma garrafa de vinho do Porto e seis galinhas, para serem usadas na preparação de uma canja, uma vez que esta era considerada um bom alimento para parturientes e convalescentes.



Enviar um comentário